8 motivos para participar do concurso do Banco do Brasil





Cargo de escriturário exige apenas nível médio e garante remuneração inicial de R$ 5.436, além de vários benefícios, como vale-transporte, auxílio-creche e previdência complementar (Por Katherine Assis*)

O Banco do Brasil está promovendo concurso com 6 mil vagas de escriturário em todo país, sendo 4.000 para contratação imediata e 2.000 para formação de cadastro reserva, para agente comercial e agente de tecnologia. O salário, com auxílios, chega a R$ 5.436, além da oportunidade de crescimento dentro da empresa. As inscrições seguem abertas até 24 de fevereiro, no site da instituição. As provas estão previstas para 23 de abril.

Diretor do curso preparatório Central de Concursos e professor de direito constitucional, Gabriel Henrique Pinto lembra que há muito tempo não são abertos concursos de amplitude tão grande como o do Banco do Brasil. "Desde o final do governo Dilma, com crises e algumas proibições à abertura de concursos, que não há uma oportunidade tão boa e com tão poucos requisitos como essa", diz.

Confira as razões para participar do certame do BB

1. Exige apenas o ensino médio

A carreira de escriturário, seja ela na especialidade de agente comercial ou agente de tecnologia, exige apenas que o candidato tenha concluído o nível médio, sem necessidade de formação técnica ou profissionalizante. Quem está prestes a concluir o nível médio também poderá fazer a inscrição, já que a comprovação da escolaridade será cobrada apenas no ato da posse.

2. Boa remuneração e diversos benefícios

A remuneração inicial do escriturário é de R$ 5.436,03. O valor é composto da seguinte forma: R$ 3.622,23 de salário, R$ 1.014,42 de auxílio-alimentação/refeição e R$ 799,38 de cesta-alimentação. Fora isso, os funcionários do Banco do Brasil têm direito a vale-transporte, auxílio-creche, auxílio a filho com deficiência e previdência complementar.

3. Não requer nenhum tipo de experiência profissional

A carreira de escriturário não exige que o candidato tenha qualquer tipo de experiência profissional, principal motivo para quem busca o primeiro emprego. De acordo com o professor Gabriel Henrique, "já entrar na faculdade sendo concursado é uma ótima opção, especialmente para os jovens que ainda não sabem bem o que escolher como carreira". Ele aconselha os jovens a estudarem para o concurso e depois, já estabilizados, procurarem uma graduação.

4. Participação nos lucros

Ainda segundo Gabriel Henrique, outro atrativo do concurso para escriturário é o fato de o banco oferecer aos seus funcionários, todos os anos, participação nos lucros e resultados (PLR). "O Banco do Brasil promove um dos melhores salários para concursados de nível médio. Via de regra, segundo levantamento da Central de Concursos, a PLR da empresa equivale ao valor de duas remunerações. Gosto de dizer que são os 14º e 15º salários", diz.

5. Plano de carreira e crescimento profissional

A Universidade Corporativa do Banco do Brasil (UniBB) oferece cursos de capacitação para os funcionários, para que eles se desenvolvam dentro da empresa. Há casos de pessoas que ingressaram como escriturários e hoje ocupam (ou já ocuparam) cargos de supervisão, gerência e direção. Nestas situações, o funcionário passa também a ter incrementos salariais, elevando os ganhos iniciais.

6. Histórico de muitas contratações

No atual edital, o Banco do Brasil oferece 6.000 vagas. A tendência é que todas elas sejam preenchidas durante o prazo de validade da seleção, de um ano, podendo dobrar. No concurso de 2021, por exemplo, foram oferecidas 4.480 vagas em todo o país, sendo 2.240 imediatas e 2.240 em cadastro reserva. Em menos de um ano, todos os aprovados já tinham sido convocados, inclusive os do CR.

7. Carga horária reduzida

Conforme consta no edital do concurso Banco do Brasil, a carga de trabalho do escriturário é de 30 horas semanais e não de 40 horas, como acontece na maior parte dos órgãos e empresas públicas. Na prática, isso significa que o funcionário cumprirá jornada de apenas seis horas diárias. "Uma oportunidade e tanto para quem deseja trabalhar e também buscar por desenvolvimento em outras áreas e até mesmo uma graduação", afirma Gabriel Henrique.

8. Poucas matérias e nível básico na prova

A prova do Banco do Brasil apresenta 10 questões de português, 5 de matemática, 5 de atualidades do mercado financeiro, 5 de inglês, 5 de matemática financeira, 10 de conhecimentos bancários, 15 de informática e 15 de vendas e negociação. "Não exige direito constitucional, direito administrativo, nem raciocínio lógico, além de a maioria dos conteúdos serem do currículo do ensino médio. É um concurso bem tranquilo e acessível ", diz Grabriel Henrique.

Vagas por estado (foto: Thiago Borges)

O especialista salienta que quem deseja participar não deve demorar para se inscrever, pois há risco de perder o prazo. Ele indica, ainda, a quem for começar os conteúdos específicos do zero, buscar uma apostila que resuma bem o conteúdo para não se desgastar com livros enormes com assuntos que não vão cair na prova. "Aconselho a todos que vão começar a dedicar algumas horas para escolher um método bom e moderno de estudos. Com rotina e organização, todos podem aumentar suas chances de garantir uma vaga", conclui Gabriel Henrique. (Fonte: Correio Braziliense)

Notícias Feeb/PR

COMPARTILHAR