HSBC tenta obter do BC licença no início de 2020





O HSBC Brasil conversa com o Banco Central para acelerar a obtenção de sua licença de banco múltiplo a fim de operar plenamente no início de 2020. Com tal autorização, o banco inglês deve iniciar a abertura de contas a clientes corporativos e operar a divisão de gestão de caixa para empresas. O pedido ao BC pode ser entregue ainda neste mês. Normalmente, o processo leva um ano.

O HSBC tem a seu favor o fato de já ter operado contas no passado, antes da venda do varejo ao Bradesco, há dois anos e meio. Desde então, o banco ficou impedido de realizar operações locais. Os segmentos onde o HSBC quer atuar mais fortemente são de relacionamento com clientes globais, dada sua presença em todos os continentes, e de mercado de capitais, especialmente o de dívida.

Coming back. Para comandar a mesa de gestão de caixa das empresas, o banco trouxe de volta Marcos Siqueira, que já esteve à frente dessa área. A contratação encerra a formação do time de executivos que irá comandar os principais serviços oferecidos pela instituição em seu retorno ao mercado brasileiro.

Top 3
O HSBC Brasil tem como meta triplicar de tamanho em cinco anos e voltar a figurar entre os três maiores bancos estrangeiros. O foco de sua carteira de clientes são as grandes multinacionais e companhias brasileiras com operações no exterior. Hoje com 150 empresas, o HSBC quer elevar sua carteira para 650 em cinco anos, sendo 500 multinacionais. Antes da venda ao Bradesco, eram 800 grandes clientes.

Teste. O banco está também testando o apetite do mercado pela instituição. Na semana passada, emitiu CDBs para um grupo de investidores institucionais, por meio de uma oferta privada. Daqui a alguns meses, pretende diversificar para pessoas físicas, colocando títulos à disposição desse público em corretoras. Recentemente, emitiu R$ 100 milhões em Letras Financeiras para pessoas jurídicas. (Fonte: Estadão)

COMPARTILHAR