É verdade que deputados podem ter aumento de 16% em 2019





Deputado federal eleito por SP convoca pessoas a assinarem abaixo-assinado contra o aumento

É verdadeira a informação de que o reajuste salarial para deputados será de 16% em 2019, como afirma Vinicius Poit, deputado federal eleito em São Paulo pelo partido Novo, em vídeo publicado na internet.

O conteúdo foi repassado por leitores para o Folha Informações, canal de checagem de boatos e notícias falsas do jornal.

Em seu discurso, o deputado do Novo diz que –enquanto acontecia a apuração no dia 7 de outubro– recebeu ligação de pessoas dos “bastidores” da política parabenizando-o pela conquista e que terá logo em seu primeiro mês de mandato um aumento.

O presidente do STF, Dias Toffoli, negociou diretamente com o presidente Michel Temer o reajuste de 16,38% para os salários dos ministros da corte. O valor está previsto no Orçamento de 2019.

Pelo acordo, um projeto prevendo o aumento –que já foi aprovado pela Câmara, em 2015– agora precisará ser apreciado pelo Senado. Assim que os senadores aprovarem a proposta, o pagamento de auxílio-moradia para juízes será colocado em discussão no STF. A ideia é acabar com o penduricalho.

Se o aumento de 16,38% aos ministros do STF for aprovado, haverá efeito cascata, aumentando os salários de outros servidores do Poder Judiciário e dos demais Poderes da União, já que o subsídio do ministro do Suprema Corte é o teto do funcionalismo público. Isso afetará diretamente o salário de deputados e senadores, que já dão como certa a aprovação de um aumento do mesmo tamanho.

Poit lembra que em transições de governo são marcadas por reajustes de parlamentares. Em 2010, por exemplo, reajuste de 61,8% foi aprovado pelo Senado. À época, o salário dos parlamentares saltou de R$ 16,5 mil para R$ 26,7 mil, sendo que o último reajuste havia acontecido em 2007. Já em 2014 os parlamentares receberam 26,3% de reajuste.

O futuro deputado ainda diz que este reajuste –somado ao aumento salarial para o Judiciário e servidores aprovado por Temer– custaria R$ 7,15 bilhões aos brasileiros, o que equivale a cuidar de todos os casos de câncer pelo SUS durante dois anos.

O custo e a comparação de Poit, entretanto, não estão corretos. Na verdade, essas medidas impedirão o governo de economizar, pelo menos, R$ 8 bilhões no Orçamento do próximo ano. Já os gastos com o tratamento de câncer pelo SUS, segundo o Ministério da Saúde, foram de R$ 4,6 bilhões em 2017.

Ao fim do vídeo, Vinicius Poit convoca seus eleitores a participarem de um abaixo-assinado para que a o reajuste salarial não aconteça. (Fonte: Folha.com)

COMPARTILHAR